Todo bebê chora, afinal, esta é a única maneira que ele tem de mostrar que está com fome ou desconfortável.

Porém, às vezes a agitação normal do recém-nascido se transforma em longos períodos de choro. Isso pode pode indicar que seu bebê tem cólica, o que afeta cerca de 20% de todos os bebês.

Para ajudar você e o seu pequenino, vamos mostrar algumas dicas de como aliviar a cólica em bebê recém-nascido.

Sinais de que o bebê está com cólica

Assim como o corpo de um adulto dá sinais de que algo não está bem, o corpo do bebê também demonstra alguns sinais e sintomas de que ele está com cólica.

Veja a seguir os principais sintomas:

  • Geralmente eles ficam com um choro agudo.
  • O bebê se contorce e levanta as pernas em direção ao abdômen.
  • A região da barriga fica endurecida e inchada.
  • O bebê solta gases mais do que o normal.
  • O rosto fica avermelhado.
  • Em geral o bebê fica mais agitado durante o período da noite.
  • As duas mãos do bebê ficam fechadas.

É claro que não é uma condição o bebê ter todos os sintomas, no entanto, você precisa ficar atento para a ocorrência de um ou mais desses sintomas.

A ocorrência de cólicas pode durar em média uns três meses, mas isso depende muito do organismo do bebê.

Leia Também: Como decifrar o choro do bebê recém-nascido

Quando começam as cólicas?

Depois do quarto mês de vida, a flora intestinal do bebê está formada, e é nessa fase que as cólicas tendem a desaparecer. No entanto, as cólicas podem começar muito antes.

De forma geral, as cólicas nos bebês começam por volta de duas semanas após o nascimento, pois os sistemas do recém-nascido ainda estão se desenvolvendo e se adaptando, principalmente o sistema digestório.

Então, é por estar ainda se adaptando que a alimentação dos bebês é bem diferenciada.

Ou seja, nada pesado, apenas o leite materno, que é um alimento natural e que possui os nutrientes que são necessários para que ele cresça saudável.

Leia Também: Como contratar uma babá com segurança

Dicas para aliviar cólica em bebê recém-nascido

1. Dê um banho morno

A temperatura do banho não deve passar dos 37ºC. Portanto, faça com que o banho seja uma experiência prazerosa para o bebê. Se possível, coloque uma música suave em volume ambiente e deixe a luz mais baixa.

Se optar por não colocar música, você pode cantar para o bebê ou conversar um pouco.

Esse ambiente com uma luz, temperatura e som promovem sensações no bebê, semelhantes as que ele experimentou no período da gestação.

2. Faça uma massagem levinha

Com o auxílio de um óleo ou hidratante para bebês, faça uma massagem bem levinha com movimentos circulares. Isso irá proporcionar um alívio para o bebê.

Coloque o bebê deitado no berço ou em sua cama e faça um movimento de dobrar os joelhos para que as coxas façam uma leve pressão na região do abdômen. Logo em seguida, estique novamente as perninhas.

Outro movimento que você pode fazer é simular como se ele estivesse pedalando. Esses movimentos podem ser feitos mesmo que o bebê não esteja com cólica, afinal. isso ajuda na liberação de gases.

3. Faça compressas levemente quentes

Aplicar uma compressa com água morna sobre o abdômen para aquecer levemente a região também é uma forma de causar um alívio.

Se preferir, você pode utilizar uma fralda. Para isso, basta esquentar com a ajuda de um ferro de passar.

Mas tome cuidado para não deixar quente e queimar o bebê! Apenas aqueça suavemente.

O calor provindo da bolsa ou da fralda irá estimular a vasodilatação, relaxando a musculatura e estimulando o fluxo sanguíneo. Dessa forma, o bebê se sentirá mais confortável.

4. Ande com o bebê no colo pela casa

Não precisa balançar o bebê fortemente, apenas passeie um pouco para estimular a liberação de gases.

Durante esse momento de andar com seu bebê na casa, converse baixinho com ele. Isso traz mais conforto e segurança para o seu bebê.

5. Fique em contato direto com o bebê

Deixar o seu bebê só de fralda para ter um contato direto com o seu corpo poderá ajudar a deixá-lo mais à vontade, pois o contato com a pele dos pais traz conforto e aconchego.

Nesse momento, se possível, também converse com o seu bebê. Dessa forma você irá transmitir segurança para o pequeno.

6. Use uma medicação receitada pelo pediatra

É de extrema importância que você não ofereça medicação ao seu bebê sem que haja conhecimento e recomendação médica.

O pediatra que acompanha o bebê é quem conhecer o histórico e as condições de saúde.

Para os casos em que o pediatra verificou a necessidade de medicação, você pode medicar, seguindo cuidadosamente as instruções.

Contudo, você pode tentar alternativas mais naturais, principalmente porque os medicamentos são analgésicos e não possuem efeitos preventivos.

7. Ofereça o peito

O ato de amamentar o bebê pode ajudar a amenizar a cólica.

Além de confortar o bebê, o leite materno possui bioativos que evitam a proliferação das bactérias ruins e protegem contra desconfortos.

No entanto, evite fazer isso se ele tiver acabado de mamar ou se você tentou várias vezes e ele rejeitou todas elas.

8. Coloque o bebê para arrotar

Após cada mamada, seja ela no peito ou na mamadeira, ainda que o seu bebê não faça uma amamentação completa, não deixe de colocar ele para arrotar.

Isso porque quando o bebê mama, acaba adquirindo um pouco de ar juntamente com leite. Esse ar que entra, ajuda na formação de gases.

Portanto, se o seu bebê não mama mais no peito, você poderá adquirir mamadeiras com bico específico para não acumular ar.

COMPARTILHE

Vânia Santos

Psicóloga, Mãe de 3 filhos e contribuidora do Blog Anjo Querubim.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2019 Anjo Querubim - Todos os direitos reservados.